o cheiro que tinha um dia o próprio vento...

Posted by Arco-Íris (Leiria, Portugal) on 23 August 2016 in Landscape & Rural and Portfolio.

No fim tu hás de ver que as coisas mais leves são as únicas
que o vento não conseguiu levar:
um estribilho antigo
um carinho no momento preciso
o folhear de um livro de poemas
o cheiro que tinha um dia o próprio vento...
Mário Quintana

Canon EOS 60D
20 seconds
F/22.0
ISO 100
24 mm

praia
baleal
peniche
berlengas
por-do-sol
sunset

Share this photo on Twitter Share this photo on Facebook Share this photo on Google+