Share this photo on Twitter Share this photo on Facebook

Once upon a time at Christmas IX

Posted by
Arco-Íris (Leiria, Portugal) on 13 January 2020 in Transportation and Portfolio.

Que estupidez. Não sabia onde estava. Confiara no seu sentido de orientação, esquecendo-se que não tinha nenhum.
Pediu boleia. Quando era pequena, na sua terra, sempre teve sorte.
Ninguém parava.
Não havia vivalma na rua.
Os minutos voavam.
Um rapaz. A gare? Trains? Oui. Dissera. Viu a linha, mas não a gare. Era aqui ou não? Continuou a andar. Desesperada.
Um grupo de pedreiros em conversa em frente à obra. Perguntava ou não? Arriscou. Compreenderam a situação. Na conversa confusa, percebeu, que estava muito longe do local desejado. Ofereceram boleia. Nem hesitou. Medo? Nenhum. Ofereceram café, várias vezes. Agradeceu, mas não aceitou. Tinha tomado o petit déjeuner. O tempo desaparecia. Puseram-se a caminho. Apresentaram-se. Era curdo. Vivia em França há dez anos. Esquerda, direita, esquerda, em frente... A gare, finalmente. O comboio já tinha partido. Acompanhou-a ao balcão. Explicou a situação ao funcionário. Nada a fazer. Teria de adquirir outro bilhete para Strasbourg. Foram ver onde era a paragem do comboio. Muito gentil. Despediram-se. No passado tinhas pavor de muçulmanos.

Canon EOS 60D 1/60 second F/8.0 ISO 125 18 mm

Canon EOS 60D
1/60 second
F/8.0
ISO 125
18 mm

france
mulhouse
comboio
station